Tudo Sobre: Marta Pinheiro

Marta Pinheiro

Poetisa, natural de Fortaleza, Ceará. Desde pequena demonstrou grande interesse pela literatura, aos 9 anos de idade fez seus primeiros rascunhos. Autora de contos e poesias que retratam cenas cotidianas. Atua como produtora cultural. Foi uma das fundadoras do Bloco Carnavalesco Hospício Cultural e uma das idealizadoras do projeto Sarau Casa de Poesia, iniciado em 2015 juntamente com a poetisa Carol Capasso. Teve dois de seus poemas publicados na antologia poética “ Flor de Resistência” organizado pelos escritores Ricardo Kelmer e Alan Mendonça. Seu livro de estréia é “Engenho de Dentro”, em processo de finalização.

SERES VOLÁTEIS

Suas idéias dependem da direção dos ventos. A partir daí alçam vôos, mas jamais voam firmes, seguros. A incerteza é seu anjo protetor, mas támbem seu corruptor, seu guia. Hoje…

Fortaleza 294

Fortaleza é tão grande que amedronta, antes, seguramente, nos enfeitiça. É grande na beleza, no tamanho e nos desafios. As praias mais bonitas são, sem medo de errar, as nossas….

DEUS TEMPO

O senhor tempo é o Deus maior. Nos ensina a importância de todas as coisas e nos mostra por quais devemos lutar. O que vale a pena e o que…

O Artífice

– Ó quão desassemelhado és tu do que me faz suspirar. Meus versos brancos e livres, cantam o perfumado amor. Eu desejei por dez vezes, o estéril filho do deserto….

OBSCURIDADE

vejo tudo fosco borrado, meio sujo. foi o grito que rompeu com o ontem mas que até hoje ecoa. tem ontens em todos os hojes. faz sol, chuva e novamente…

In-verso

é o inverso de tudo que fala. o avesso. é aquilo que nunca foi, mas imagina ser. publicita seu sonhos como se fossem reais e tem quem os compre. arma…

Cada palavra não dita

Cada palavra não dita, adiada, contabilizo um dia a menos de sol. É aquele abraço apertado, que nunca irá receber. É o beijo demorado, guardado, que não chegará. Cada palavra…

Sobre os meus ídolos

Grande parte dos meus ídolos moram aqui e dos meus heróis, também. Tudo gente simples, livre, criativa, sensível e anônima. Quase nenhum deles se benze. Nunca aprenderam a bater continência,…