Sobre Gilmar Oliveira

Gilmar Oliveira, Professor Universitário.

REFLEXÕES QUARENTENAIS

Sou um idoso aposentado e vivo com minha esposa que ostenta “status” semelhante.
Nossos filhos já se casaram e moram em seus sítios.
Nossa casa ficou vazia e grande. Nesse período de quarentena temos:
– quartos e banheiros separados;
– alimentação saudável e abundante;

VIM APENAS PARA QUEBRAR O MODELO

No decorrer dos tempos os homens inventaram e construíram, mediante interesses e engenharias bizarras:
– cercas que prendem;
– muros que dividem;
– diques que represam;
– grades que confinam;
– instituições que dominam;
– leis que encarceram;
– armas que matam;
– moedas que compram.
A solidariedade acabou.

O mundo está em crise

A história da humanidade tem capítulos escritos com sangue. Os efeitos de qualquer conflito são devastadores, até para o lado vitorioso. Isso vale para mim, para você, para famílias e para nações.
 
Na segunda guerra mundial (1939 a 1945) vilas e

Oração contra o vírus fome

Ó Deus todo poderoso
Que criou o mundo do nada
Dai-me um pedaço de terra
Pra eu construir um teto
E morar com minha família
Cultivar e plantar sementes
Para colher alimento
Vacina do vírus fome
Mata mais que coronavirus
Mas é doença de pobre
Não dá MANCHETE
 
Ó Deus todo

Metamorfose

acordei e saí abruptamente
num relance estava em solo firme
os quatro componentes do planeta pulsavam forte:
terra, ar, água e fogo
a fauna e a flora vicejavam
o vento soprava
a natureza verdejante sorria
pisquei os olhos e olhei para dentro de mim
depois pro meu entorno

AI QUE SAUDADE !

Da nossa casa em Latadas … onde nascemos e fomos criados;
Da presença dos nossos pais;
Da comida na mesa da sala de jantar;
Das brincadeiras com meus irmãos;
Das calças curtas;
Dos pés descalços na poeira;
De andar em cavalo de talo;
Do meu jumento Rochedo;
Das

É CARNAVAL, O POVO REINA!

365 dias de gemidos silenciados, palavras engasgadas, impulsos reprimidos, direitos negados, minorias discriminadas e mortas … … … !
 
Mais uma vez os morros descem e pisam firmes no asfalto.
 
Ritmos harmônicos e acelerados, coreografias exuberantes, fantasias indescritívelmente belas, danças sensualmente ousadas

Pular no escuro é perigoso!

Durante toda a semana fui convidado insistentemente, pelas redes sociais, para uma palestra sobre Inteligência Emocional.
 
No dia “D” fui um dos primeiros a chegar ao local e me sentei bem no meio da terceira fileira da esquerda. Uma jovem alta

(…) SEM VOCÊ

A circunstância
A dor
A distância
O amor !
 
 
Difícil entender
Impossível acreditar
Eu sem você
Insone, a sonhar !
 
 
Noites longas
Silêncio ensurdecedor
Você, eu, a dor !
 
Sofrimento constante
Dor dilacerante
Angústia mortificante !