Sobre Alder Teixeira

Professor titular aposentado da UECE e do IFCE nas disciplinas de História da Arte, Estética do Cinema, Comunicação e Linguagem nas Artes Visuais, Teoria da Literatura e Análise do Texto Dramático. Especialista em Literatura Brasileira, Mestre em Letras e Doutor em Artes pela Universidade Federal de Minas Gerais. É autor, entre outros, dos livros Do Amor e Outros Poemas, Do Amor e Outras Crônicas, Componentes Dramáticos da Poética de Carlos Drummond de Andrade, A Hora do Lobo: Estratégias Narrativas na Filmografia de Ingmar Bergman e Guia da Prosa de Ficção Brasileira. Escreve crônicas e artigos de crítica cinematográfica

A minha aldeia

De Fernando Pessoa, ocorrem-me agora os versos antológicos: “O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia. / Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia. / Porque o

Recordando Barcelona

AMANTE DAS ARTES plásticas, sem ao menos imaginar que algum tempo depois viria a lecionar num Curso Superior de Licenciatura em Artes Visuais, quando procuraria refinar os meus conhecimentos da pintura, deparo com uma das mais concorridas atrações turísticas de

Para além da cegueira e do fanatismo

1964 não foi apenas o ano em que eclodiria um dos mais sangrentos golpes de Estado de que se tem notícia. Na contramão das atrocidades levadas a efeito pelo regime militar, de que as execuções de estudantes, intelectuais e militantes

Elis & Tom, 50 anos depois

Disponível em streaming o imperdível documentário musical “Elis & Tom: Só tinha de Ser com Você”, montado a partir de uma série de gravações precariamente realizadas pelo cineasta e então empresário da cantora gaúcha, Roberto de Oliveira, entre fevereiro e

Livros, listas e indicações

O crítico literário, poeta e cronista paraibano Hildeberto Barbosa Filho, no seu belíssimo “Da volúpia do erro”, revela ter hesitado em tornar pública a sua lista de melhores livros de 2023. Vai além, amparando-se na sua fina compreensão do que

Começo e fim de um sonho

No Lava Jato (não confundir com a Lava Jato, aquela que teve um canalha à frente), reencontro com o amigo Francisco Alberto Moreno, o Bertinho, que me lembra torcer pelo Botafogo em minha homenagem. De fato, faz isso uns bons

Natal do Coração

Em 2016, quando ganhou o Nobel de Literatura, não foram leves (muito menos embasadas) as vozes que se levantaram mundo afora contra a premiação. Afinal, Bob Dylan era um nome da música pop internacional contemporânea. Como não se tratasse do

Aqui se faz, aqui se paga

Mudam de céu, não de alma, os que correm para além do mar, Horácio, 65-8 a.C.
Foram necessários poucos anos para dar-se a ver a face implacável dos deuses. O herói de ontem, justiceiro aos olhos de turbas endiabradas do nacionalismo

La Divina

É provável que muitos dos leitores desta coluna não gostem de ópera, mesmo quando faço esta referência, não ao espetáculo propriamente dito, mas à música, ao canto operístico a que se pode ter acesso com facilidade, independentemente da região em

Poeta da memória

Com a morte do diplomata Alberto da Costa e Silva, membro da ABL, perdeu o Brasil um dos seus intelectuais mais completos. Autor de livros que não podem faltar na estante de qualquer estudioso da formação do país, a exemplo