ARSENAIS DO ESPÍRITO

Saiba odiar
— Também é necessário —
O próprio amor é demais agressivo
Saiba odiar
Mas saiba a quem e quanto
E descansar o ódio feito massa crua
Saiba odiar
Como quem tensiona e distensiona um músculo
Como quem trabalha porque precisa
Nem sempre é agradável o trabalho
E pode mesmo não ser agradável nunca
Saiba odiar
Como quem sabe trabalhar
Mesmo contra a vontade
E seja pontual como intransigente ao fim da lida
Não trabalhe mais nem trabalhe menos
Assim também seu ódio
Profissional e quase sindicalizado
Saiba odiar
Numa medida certa
Que não inclua a aniquilação
Saiba odiar enfim
Em doses tão precisas
Que mesmo o seu amor pelas coisas amadas
Ou o amor abstrato
Monstro delicado de todo peito vivo
Saia disso como de um aprendizado
Ainda mais forte do que antes
E eventualmente mais
Terrível
Furioso
Cruel

Airton Uchoa

Escritor, leitor e sobrevivente.

Mais do autor

Airton Uchoa

Escritor, leitor e sobrevivente.