Ao Mestre Ieshua

Quando o Pai Eterno de minha Juventude se foi

Eu tinha apenas quinze anos,
Ao vê-lo chicoteado pelos hipócritas e fariseus,
Cuspiram-lhe na face os seus algozes, chorei…
Passei dias em pranto lembrando-me daquela face,
Que agora estava oculta para tantos, que Ele consolou com suas mãos afáveis, seu rosto meigo, é os seus olhos semelhantes a luz do dia.

Hoje, já estou crescido e entendi, que Ele não morreu,
Vive como uma luz de Chama Eterna,
A brilhar na Imensidão do Cosmo.

Marcos Abreu

Marcos Abreu

Poeta, Escritor, Declamador de Poesias, interprete do cancioneiro em MPB e outros gêneros; cronista, contista, romancista. Nascido em Fortaleza-Ceará é autor das seguintes obras: "Poesias de um Poeta Louco"(1995), " Nas Teias da Poesia" (1997)-Editora Passárgada- Pernambuco-Recife "Retalhos Poéticos" Poesia Livro-2000 Cordéis Publicados: " A Revolução Humana" publicado pela Fraternidade Arte e Cultura-2011 " O Rouxinol e a Rosa" Literatura Infantil- Editora Flor da Serra-2016 " A Coisificação da Sociedade na pós-modernidade" " Versos de Ouro" Fecomércio-Senac-Sesc-IPDC Antologias: Poetas da Praça do Ferreira-Editado Pela BSG-Bureau de Serviços Gráficos-Editor- Márcio Catunda-2018 "Amor Música e Poesia" Editor: Antonio Pompeu. Romances: " O Louco e o Estado-Expressão Gráfica-Fortaleza-2019-Edição e Prefácio-Dimas Macedo

Mais do autor

0 comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.