AMOR FATI

Há no samba um amor fati
Um carinho amargo maturado
Por aquilo que é como é
Ainda que não tenham lido
Nietzsche
(Que é difícil crer que soubesse dançar
Mesmo uma valsa)
E nem falem latim
Há no samba um amor fati
Marítimo e telúrico
Um apego desesperador
Às razões misteriosas
Do mar e da terra firme (?)
Há no samba um amor fati
Que diz que a vida é maior que a gente
Que a vida é quem decide pela gente
Que o caminho do barco é feito pela vaga
Que somos enquanto somos
Enquanto somos enquanto somos
Há no samba uma tristeza uma tristeza
Uma alegria
Há no samba um amor fati
Que diz que sofremos
Mas diz que existimos
Eu quero no peito um samba novo
Que traga do passado todas as origens
Um samba que me diga que eu é outro
Outro eu
Tão outro que posso simplesmente olhar de longe
Erradamente
Quando a verdade — amor fati —
Era eu ser ele
Há um samba que nos anuncia a nós mesmos
Há no samba um amor fati
Um amor fati um amor fati
Perdidos de tudo
Queremos amor
Que seja só amor
E simplesmente amor
Mesmo que feito de ilusão
Como tanto sobre o amor
Dizem os sambas

Airton Uchoa

Escritor, leitor e sobrevivente.