Amiúde

Tenho caminhado vida adentro, em passos curtos e descansados – sem lugar para equívocos. Por todas as estradas, pelas quais me aventurei passar, desde então, se mostraram mais floridas, iluminadas e belas. Como se houvesse um sol a me guiar, em cada uma delas. O silêncio me acompanha e tem sido meu fiel escudeiro e minha poesia diária. Aos poucos afino-me com o novo mundo, e não por escolha minha, mas por imposição da natureza, que jamais tarda em nos desafiar e nos exigir coragem. Mudanças, distâncias, inconstâncias tudo parace ido, ainda que tenha sido ponte. Chão, portas e asas abertas desde que rompi com o ontem. É um tempo que não se assemelha a outros. É um novo tempo, de novas gentes onde sigo cambiante, inteira e rejusvenescida. Não se escandalizem com a frivolidade dos que diariamente aprendem com maestria a arte de seguir o fluxo. Avante!

Marta Pinheiro

Poetisa, natural de Fortaleza, Ceará. Desde pequena demonstrou grande interesse pela literatura, aos 9 anos de idade fez seus primeiros rascunhos. Autora de contos e poesias que retratam cenas cotidianas. Atua como produtora cultural. Foi uma das fundadoras do Bloco Carnavalesco Hospício Cultural e uma das idealizadoras do projeto Sarau Casa de Poesia, iniciado em 2015 juntamente com a poetisa Carol Capasso. Teve dois de seus poemas publicados na antologia poética “ Flor de Resistência” organizado pelos escritores Ricardo Kelmer e Alan Mendonça. Seu livro de estréia é “Engenho de Dentro”, em processo de finalização.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.