A ENTRADA NO CÉU, COMO SERÁ?!

Eu não sei e ninguém sabe, mas imagino que seja mais ou menos assim:
Primeiro há que se fazer um cadastro, dizendo quem você foi e qual o seu legado aqui na terra.
Para quem foi filho excelente, bom irmão, esposo exemplar, pai super maravilhoso e avô inesquecível, isso é tranquilo.

O formulário abaixo, já preenchido pelo Tarcísio que acaba de partir, servirá de exemplo:

NOME: Tarcísio Rodrigues Lima
IDADE: 77 anos, completados no último dia 30
FILIAÇÃO: Zacarias Rodrigues Lima e Ana Nogueira Lima
ESTADO CIVIL: Casado, bem casado, excelente esposo.
NOME DO CÔNJUGE: Maria Ceci de Araújo Lima, excelente esposa.
NOME DOS FILHOS E PROFISSÃO: Ricardo Américo – médico; Luisiane – Médica; Flávia – Odontóloga; Guilherme – Advogado.

INFORMAÇÕES ADICIONAIS:

Tarcísio Rodrigues Lima tinha um estilo Convencional Clássico; era católico, possuía elevado espírito humanitário e tinha comportamento gregário, o que lhe deu muitos amigos.

Tarcísio tinha um caráter colaborativo, ajudou anonimamente muitas pessoas e Associações que sentirão a sua falta e terão muitas saudades dele. Era conversador e gostava de contar histórias. Foi jogador e técnico de futebol de salão. Torcia pelo Ceará.

Com esse currículo sucinto, mas riquíssimo de bondade, Tarcísio teve acesso fácil ao Céu e hoje está feliz ao lado de seus pais Zacarias e Ana, dos seus avós Maria Moreira e Joaquim Severiano, da tia Bibi, dos dois irmãos Hélios que faleceram bem crianças, e dos seus irmãos maiores Luis Orlando e Angeluce. Faz também parte dessa roda de conversas o seu querido sobrinho Rodrigo e uma legião de amigos.


Tarcísio está bem e não deixará de segurar a mão de sua querida Ceci, sua fiel companheira por mais de 47 anos, nem deixará de abraçar seus queridos filhos, tão bem criados e educados por eles. Suas orações também se voltarão sempre para seus netos e demais parentes e amigos.

Quando eu me lembro do Tarcísio, eu o vejo conversando com o Everardo, com a Marluce, com a Iracé, com o José, com o Gilberto, com a Célia, com o Humberto, seus queridos irmãos. Vejo-o também abraçando o Marcos, seu grande amigo e cunhado.


Tarcísio é um bom jogador que saiu do gramado e pendurou a chuteira na hora certa, atendendo a um chamado divino. Noutro plano, ele não vai parar; continuará terapeutizando e energizando nossas vidas com fluidos celestiais.
Uma salva de palmas para o nosso Campeão.

Gilmar Oliveira

Gilmar Oliveira, Professor Universitário.

Mais do autor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.