Que se ocupe o Brasil com a força do mercado, por Jana

É necessário permanentemente lembrar e repetir de forma incansável e da maneira mais enfática que todos os problemas que afetam a vida dos brasileiros hoje são fruto e consequência dos três mandatos presidenciais do Partido dos Trabalhadores que, por quatro eleições conseguiu enganar a população e derrotar os projetos dos candidatos adversários.

Se o Brasil não tivesse caído nesse conto de vigário, estaríamos muito melhor e muito mais ¡à frente. Basta ver o que o presidente Michel Temer já fez em poucos meses. Fez uma reforma fiscal grave e profunda, congelando gastos da máquina pública por vinte anos, conseguindo articular os dois poderes (Executivo e Legislativo), que já não se entendiam, quase nem se comunicavam direito. E não foi preciso aumentar impostos. E não devemos deixar prosperar qualquer proposta que venha nesta direção. Fique bem claro: os brasileiros já pagam imposto demais. Chega! Tem é que controlar os gastos em todas as áreas do serviço público.

Ao invés dos impostos, podemos arrecadar com a privatizacão. O presidente foi muito claro ao tomar posse e garantir a Ponte para o Futuro: a ordem é privatizar tudo o que for possível. Sim. Por que não? Entra dinheiro nos cofres públicos e nos evita pagar impostos. Melhora a gestão, porque o gestor privado é sempre mais competente, mais ágil e mais empreendedor.

E esse processo está andando. A área de petróleo é exemplo. A farsa do pré-sal está sendo recuperada para o patamar da verdade do mercado. As petroleiras internacionais estão assegurando investimentos futuros de bilhões de dólares para instalar as estruturas de extração deste petróleo para exportação. O governo do presidente Michel Temer já assegurou a liberdade para comprar máquinas no exterior (mais baratas e mais avançadas), contratar engenheiros estrangeiros (mais experientes) e pôs em leilão aberto as reservas que a Petrobrás conseguiu descobrir e definir como viáveis. A área de petróleo está posta de volta nos trilhos. O sistema de partilha chegou ao seu fim, na verdade nem chegou a nascer.

No agronegócio, a verdadeira vocação brasileira de hoje e do futuro, estão depositadas as esperanças e as oportunidades para o empreendedor nacional. Temos terra, temos sol, temos água, temos mão de obra farta e barata, falta só dar liberdade ampla e apoio incondicional para quem quer investir, independente de que língua fala, independente de produzir para o mercado local ou para o exterior, independente do financiamento de bancos públicos.

Que se ocupe todo esse vasto e rico país tão cheio de oportunidades prontas para nos fazer prosperar a todos.

Vamos ver a força do mercado atuando em benefício de todos.

Jana

Jana

Janete Nassi Freitas, nascida em 1966, fez curso superior de Comunicação, é expert em Administração, trabalhou como executiva de vendas e agora faz consultoria para pequenas e médias empresas, teve atuação em grêmios escolares quando jovem, é avessa a redes sociais embora use a internet, é sobrinha e neta de dois vereadores, mas jamais engajou-se ou sequer chegou a filiar-se a um partido, mas diz adorar um bom debate político. Declara-se uma pessoa “de centro”. Nunca exerceu qualquer função em jornalismo, não tem o diploma nem o registro profissional. Assina todos os textos e inserções na internet como “Jana”.

Mais do autor

1 comentário

  1. Claudio

    Esse Jana não sei das quantas só faz comentários mentirosos, nunca li nada que preste dessa fulana. É por isso que o jornalismo chapa branca está perdendo toda credibilidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *