Precisamos falar de QSP… Parte 15, por Osvaldo Euclides

Eis algumas visões de futuro em relação à avaliação da qualidade dos serviços públicos (QSP):

— Em São Paulo: a Prefeitura soltou Nota à Imprensa comentando a informação de que o Índice QSP do Centro subiu mais do que a média dos outros bairros. A Nota atribui o fato a uma conjunção de fatores adversos provocados pelas chuvas de verão que atingiram níveis sem precedentes, prejudicando o trânsito, comprometendo o serviço de coleta de lixo e de iluminação no trimestre anterior. Como as chuvas passaram, a Prefeitura pode agir mais efetivamente nas últimas semanas, e os índices melhoraram rápido na percepção do paulistano.Diz ainda a nota que os novos índices deverão se consolidar ou melhorar ainda mais.

— No Rio de Janeiro: o Comando das operações de intervenção militar na Segurança do Rio, iniciado há pouco mais de um ano e meio, contesta o Índice QSP geral da capital carioca para a Segurança, que chegou ao seu nível mais baixo dos últimos seis meses, dizendo que o problema é muito mais de psicologia de massas do que da operação militar em si. Diz o Comandante que “há um excesso de informação e de foco na questão da violência” e que esse excesso “mais confunde do que orienta a população”.

— Em Salvador: o problema do baixo Índice QSP da Saúde da capital soteropolitana não deve prejudicar o fluxo turístico para o período de carnaval, esta é a opinião dos empreendedores dos ramos de hotéis, restaurantes e serviços. Segundo o presidente da entidade que congrega o setor, “o carnaval é uma paixão de muita potência, cuja demanda está consolidada e que só faz crescer. As epidemias de dengue, chicungunha e zika, transmitidas pelo mosquito, assim como as inúmeras viroses já começam a arrefecer. Talvez até o mosquito caia no samba”, disse, sorrindo de forma bem baiana.

Fortaleza: Governo do Estado e Prefeitura evitaram comentar os Índices QSP de segurança e de saúde da cidade de Fortaleza, responsabilidade respectivamente dos dois, ao se colocarem ambos abaixo da nota 4. Enquanto isso, Sobral segue na liderança entre todas as cidades do Estado em relação à Educação, mantendo seu Índice QSP acima de 8.

Curitiba: a capital do estado do Paraná manteve o melhor desempenho médio dos Índices QSP para os serviços públicos que são avaliados por bairro (coleta de lixo, trânsito, segurança e iluminação), quando é feita a comparação entre as cidades com mais de quinhentos mil habitantes. Entre os serviços que são avaliados por unidade, Curitiba manteve o destaque na questão dos transportes, voltando a apresentar a melhor nota, 8,5.

Banco do Brasil: o Índice QSP do maior banco do país continua em trajetória de queda. A assessoria de imprensa disse que ainda não fez a análise dos resultados, mas questiona a metodologia e informa que as avaliações internas e as pesquisas feitas por instituições especializadas e tradicionais não corroboram nem confirmam o problema. E deixou claro que não é política da instituição comentar pesquisas de um modo geral.

Correios: a avaliação dos Correios inverteu sua curva de queda e recuperou-se nos últimos dois meses, saindo da faixa de insatisfação e passando para o nível de “nem satisfeito, nem insatisfeito”, possivelmente a caminho da faixa de “satisfação”. A assessoria evitou fazer comentários formais, mas indicou que há uma mobilização interna para melhorar o atendimento ao cliente em cada loja.

Sindicato dos Servidores Públicos informou que está analisando todas as metodologias de avaliação da qualidade do serviço público e não deve se pronunciar sobre nenhum deles. Vai acompanhar todos, com destaque para os que cumprem efetivamente a Lei 13.460 e até admite que possa criar o seu próprio índice, pois a categoria já conta, levando em conta toda a máquina administrativa nas três esferas, mais de quinze milhões de servidores.

Osvaldo Euclides

Osvaldo Euclides

Economista e Professor Universitário.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *