Pedro Parente já cumpriu sua missão na Petrobrás? por Jana

Pedro Parente é um competente profissional do mercado. Está fazendo na Petrobrás um trabalho histórico. Rápido e eficaz, ele desmonta estrutura e processos viciados que marcaram os últimos anos e derrubaram o valor da empresa em bolsa e comprometerem a sua solidez financeira. A Petrobrás quase quebrou e agora está sendo salva em apenas dois anos de uma gestão realista em matéria de preços e de redução de dívida com a venda de ativos sem valor estratégico em relação ao negócio principal da empresa (vender petróleo).

Pedro Parente foi do gabinete do presidente Fernando Henrique Cardoso. Por sua qualificação e disposição para fazer o que é preciso, foi escolhido para lidar com o problema do “apagão” no fim do segundo mandato de FHC. Foi ele que montou o sistema de produção de energia através de termelétricas a óleo e a gás, que salvaram o país e contribuíram para criar um mercado livre de energia no Brasil. Depois disso, é que foram cometidos erros atrás de erros e o sistema elétrico voltou à crise. É estranho que até cardeais do PSDB lhe faltem com o apoio e a sustentação neste momento. .

É realmente uma pena que ele eventualmente seja obrigado a ceder e recuar de sua política de preços de combustíveis realista, que leva em conta até mesmo os preços dos contratos futuros de petróleo negociados em bolsa. É realmente uma pena que o país seja obrigado a ceder a pressões de todo tipo, sobretudo dos avermelhados. É realmente uma pena que os acionistas da empresa tenham que pagar por um recuo inaceitável de uma política saudável e sustentável.

O mercado vai reagir de maneira forte e a empresa vai sentir o baque. Uma nova crise de gestão pode se instalar na Petrobrás que estava se encaminhando para águas calmas, com a bolsa confirmando essa sensação e os investidores voltando a acreditar na companhia e apostando nos seus títulos.

De todo modo, Pedro Parente já fez mudanças relevantes e estratégicas: melhorou o caixa da empresa, cortou investimentos e abriu mão de reservas do pré-sal que poderiam comprometer o grau de endividamento da companhia, sem falar que reduziu de forma expressiva os gastos com pessoal. Tudo isso em apenas dois anos.

Jana

Jana

Janete Nassi Freitas, nascida em 1966, fez curso superior de Comunicação, é expert em Administração, trabalhou como executiva de vendas e agora faz consultoria para pequenas e médias empresas, teve atuação em grêmios escolares quando jovem, é avessa a redes sociais embora use a internet, é sobrinha e neta de dois vereadores, mas jamais engajou-se ou sequer chegou a filiar-se a um partido, mas diz adorar um bom debate político. Declara-se uma pessoa “de centro”. Nunca exerceu qualquer função em jornalismo, não tem o diploma nem o registro profissional. Assina todos os textos e inserções na internet como “Jana”.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *