Passou o tempo em que o argumento do “crime de honra” era capaz de absolver um homem que assassinava uma mulher, diz senadora do PMDB

A senadora Rose de Freitas (PMDB-ES) comemorou os avanços na legislação em defesa da mulher após a Constituição de 1988. Segundo a senadora, a maior vitória das mulheres foi ter participado da Assembleia Nacional Constituinte. Ela citou desafios da época, como a ausência de banheiros para mulheres nos plenários das duas Casas do Congresso Nacional.

Rose de Freitas afirmou que passou o tempo em que o argumento do “crime de honra” era capaz de absolver um homem que assassinava uma mulher. A senadora disse embora as mulheres continuem sendo agredidas, hoje os homens já estão sendo condenados por este tipo de crime. Por isso, para Rose de Freitas, as mulheres sabem a importância da união e da conscientização.

Em sua avaliação, os avanços obtidos até hoje foram consequência da luta da sociedade organizada, como no caso da Lei Maria da Penha.

– Hoje as mulheres sabem o direito que têm e querem ver suas leis aprovadas refletindo esse direito. Elas exercitam o direito e cobram o direito, respaldadas sempre no texto que nós, respeitosamente e ousadamente, construímos e foi promulgado em outubro de 88 – afirmou a senadora.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *