Onze mentirinhas sobre a Petrobrás, por Capablaca

Mentirinha 1 – Era a virada de fevereiro para março de 2016, as ações da Petrobrás estavam cotadas na Bolsa a mais ou menos quatro reais e a jornalista Mara Louquet, na Rede CBN de Rádio, a rede nacional de rádios da Rede Globo, dizia em voz alta, fazendo ênfase: “a Petrobrás quebrou”, “esses caras acabaram com a empresa”, e seguia por aí. O que aconteceu de fato? Dois meses depois, as cotações da empresa na Bolsa disparam para cima e em menos de um ano chegam a dezesseis reais. A Petrobrás era a mesma, o governo mudou.

Mentirinha 2 – O Pré-sal vai afundar a Petrobrás. Essa pesquisa é uma aventura, não vai achar nada. E como sempre, nós é que pagaremos a conta. O que aconteceu? A Petrobrás fez no Pré-Sal a maior descoberta de petróleo do mundo dos últimos cinquenta anos.

Mentirinha 3 – A Petrobrás não tem tecnologia para explorar a sete quilômetros de profundidade em alto mar. Ninguém tem. O que aconteceu? A Petrobrás desenvolveu a tecnologia, cem por cento nacional.

Mentirinha 4 – A Petrobrás só vai ter prejuízo com a exploração do Pré-Sal. É impossível lucrar se o preço do petróleo cair abaixo de oitenta dólares por barril. O que aconteceu? O preço do barril de petróleo caiu a trinta dólares e a Petrobrás conseguia extrair a sete quilômetros de profundidade em alto mar ao custo de menos de dez dólares por barril extraído.

Mentirinha 5 – A Petrobrás está quebrada. Ela é a mais endividada empresa de petróleo do mundo. Ninguém no mercado acredita nela, nenhum banco vai emprestar dinheiro a ela. O que aconteceu quase simultaneamente? A Petrobrás fez emissões de títulos no exterior com cem anos de prazo e juros de mercado. A demanda para comprar esses títulos foi maior do que a oferta. Noutra operação, a Petrobrás emitiu títulos sem prazo de vencimento. O mercado absorveu cem por cento.

Mentirinha 6 – A Petrobrás é um mar de lama, um antro de corrupção. Foram mais de 40 bilhões de reais em roubo e propina. É a corrupção institucionalizada. O que ficou provado? Os corruptos eram poucos e vinham dos anos 1990. E os 40 bulhões? Bem, a única coisa que se aproxima dos 40 bilhões foi a decisão de Pedro Parente de antecipar o pagamento de dez bilhões de reais a um grupo de investidores abutres e escritórios de advocacia norte-americanos que acionaram a a empresa por prejuízos na Bolsa. Isso mesmo, a Petrobrás pagou antes da Justiça decidir. Isso mesmo, a Petrobrás ressarciu prejuízos de especuladores da Bolsa.

Mentirinha 7 – A Petrobrás precisa vender ativos para fazer caixa. O que aconteceu? A Petrobrás antecipou pagamentos ao BNDES e a bancos estrangeiros, em bilhões de reais e em dólares. Isso mesmo: pagou empréstimos antes dele vencerem.

Mentirinha 8 – Se Petróleo enriquecesse um país, a Arábia Saudita e o Kuwait seriam ricos. Isso só beneficia alguns malandros. O que aconteceu? O Brasil mudou sua legislação, copiou o modelo norueguês, que estudou e enfrentou com sucesso essa questão há décadas. É a mudança do sistema de concessões para a Lei de Partilha. Com essa mudança, educação e saúde receberiam algo como cem bilhões de reais só do Pré-Sal.

Mentirinha 9 – A Petrobrás não tem dinheiro para explorar o Pré-Sal. É preciso mudar a Lei de Partilha para atrair as petroleiras estrangeiras interessadas no Pré-Sal. O que aconteceu? O Congresso votou o projeto do senador do PSDB que mudou a legislação. E as reservas descobertas, mapeadas e medidas que a muito custo a Petrobrás descobriu foram vendidas bem baratinho a petroleiras estrangeiras pelo Pedro Parente.

Mentirinha 10 – Os governos populistas acabaram com a Petrobrás. É preciso salvá-la. O preço tem que acompanhar o mercado internacional dia a dia, inclusive as cotações dos mercados futuros de commoditties de Chicago e das bolsas estrangeiras. O que aconteceu? O que está acontecendo é o caos do Pedro Parente.

Mentirinha 11 – Vai ser bom para o Brasil trazer investidores externos para explorar o petróleo que a Petrobrás descobriu. É coisa de mercado, do jogo capitalista. Teremos empregos, impostos e compras de produtos e serviços brasileiros. O que aconteceu? O Governo e o Congresso isentaram de impostos as petroleiras estrangeiras, inclusive sobre a importação de máquinas e insumos, e autorizaram a contratar trabalhadores estrangeiros. Valor estimado dos impostos em 25 anos: um trilhão de reais.

Querem mais mentirinhas? Se liga na TV no horário nobre. Se liga na rede de rádios. Lê aquela revista e aquele jornal.

Capablanca

Capablanca

Ernesto Luís “Capablanca”, ou simplesmente “Capablanca” (homenagem ao jogador de xadrez) nascido em 1955, desde jovem dedica-se a trabalhar em ONGs com atuação em projetos sociais nas periferias de grandes cidades; não tem formação superior, diz que conhece metade do Brasil e o “que importa” na América do Sul, é colaborador regular de jornais comunitários. Declara-se um progressista,mas decepcionou-se com as experiências políticas e diz que atua na internet de várias formas.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *