Ônibus, por Weluilson Silva

O ônibus nos dá o direito de ir e vir, e nos transporta, física e mentalmente. Além de nos locomover para nosso destino final, o ônibus pode ser também um lugar de meditação. A janela de um ônibus tem o poder de conduzir nossos pensamentos, e nos fazer refletir sobre tudo que passamos no dia, depois de uma rotina de trabalho.

Um criativo pode tirar suas inspirações através da janela de um ônibus, diante da paisagem que é observada, de várias ideias já executadas. A janela de um ônibus pode ser mais eficaz que a tela de um computador, e pode trazer uma imensa quantidade de informações, vindas de fora. Mensagens e imagens podem ser vistas no decorrer do percurso até a parada final, numa velocidade média de 40Km/h.

As placas e os outdoors lá fora mostram nosso país em publicidade, formas e cores. Lembram-nos muitas vezes de comprar algo de que precisamos em casa, ou para alguém. Mas, não só o que está fora chama a atenção em um ônibus, dentro também.

A observação da diversidade popular que circula nos ônibus, e seu comportamento podem render um bom conhecimento sobre o ser humano e a sociedade numa visão de  cultura local. Os profissionais autônomos que tiram seu sustento vendendo balinhas, canetas e outros pequenos utensílios mostram a sobrevivência em um país de crise.

As senhorinhas conversando no banco da frente podem ser a fonte de ideias que custam a sair da cabeça. Seus assuntos trazem uma carga de experiência muito grande. As imensas oportunidades de observações em um ônibus podem nos trazer ricos aprendizados.

O ônibus é quase  uma faculdade de baixo custo, se levar em consideração as meias passagens, do contrário, não. Quem se lembra de apreciar essas pequenas coisas ainda consegue absorver um pouco de informação, quem não, apenas paga para ser transportado.

O custo para ir e vir, o momento de reflexão nas janelas de ônibus, o sustento dos autônomos ambulantes encarecem a cada gestão. Quase todas as capitais do Brasil aumentaram suas passagens, sem muitas mudanças nem avanços no transporte.

Agora, a única coisa que o trabalhador vai aprender nos ônibus são as contas de somar bem maiores, e a soma da dívida no fim do mês. Se ao menos houvesse uma melhoria nos transportes, sem que precisassem ficar em pé depois de um longo dia de trabalho…

Na hora do “rush” a única coisa que o brasileiro quer pensar é em chegar à sua casa, depois de passar por lotação e apertos no ônibus. Apenas o que melhora nessa mudança do valor da passagem é o bolso do empresário de ônibus.

Weluilson Silva

Weluilson Silva

Publicitário, graduado em Comunicação Social (Publicidade e Propaganda) pela Fanor/Devry, Escritor amador/ Romancista (em processo de publicação). Mestrado Incompleto de Gestão de Marketing pelo Instituto Português de Administração em Marketing (IPAM).

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *