Novos e melhores caminhos, por Gilvan Mendes

Na última sextafeira (9) o TSE decidiu absolver a chapa Dilma-Temer por 4 votos a 3 , com o voto decisivo dado por  Gilmar Mendes. Porém, a realidade do Governo não oferece brechas  para comemorações, pelo contrário, a situação de Temer, que já é ruim, pode piorar caso as  delações que ainda  estão  por vir continuem envolvendo o presidente e seus ministros em conversas e negociações ilegais. Todo poder emana do povo , diz  Constituição , e essa é a base de qualquer ”contrato social” moderno:  estabelece os preceitos da República , das leis seguidas e criadas pelos cidadãos  e as  formas de governo. Isso não quer dizer que temos que esquecer as regras formais estabelecidas  e louvar populismo rasteiro , mas que, gostando ou não, em uma democracia ninguém consegue governar um País sem o apoio de boa parte da população. Nesse quesito , Temer está condenado.

Mesmo que a população brasileira não tenha dado muita importância para a decisão do TSE , é notório o fato  de que os brasileiros não acreditam no Governo Temer. A mais recente pesquisa feita pela Folha de SP mostra que somente 9% do entrevistados consideram  a gestão de Michel Temer  ótima ou boa , isso em uma democracia é uma péssima conjuntura  , mais ainda se considerarmos que Temer e sua turma chegaram no Palácio do Planalto defendendo a ética e prometendo tirar o Brasil da crise já que setores da direita teimaram em dizer que bastava tirar o PT e Dilma do poder que as coisas iriam entrar no rumo certo , na política e na economia.

Não foi o que aconteceu. Os números do desemprego, que já eram alarmantes, pioram , a tão alardeada  retomada do crescimento econômico caminha em passos tímidos , e a maioria da população se posiciona contra as Reformas Trabalhista e da Previdência. A corrupção continua a todo vapor , e o PSDB e o PMDB não podem mais passar a imagem de agentes moralizadores da política nacional. Em resumo , a situação do Brasil, que era ruim com Dilma, piorou com Temer , e dificilmente sairemos desse caos logo. 

Entretanto , mais necessário do que debatermos as movimentações feitas pelos partidos é refletirmos sobre a nossa vida social. Somos uma sociedade que não desenvolveu um ideal a ser seguido e alcançado , não temos uma unidade de consciência que nos faça defender valores de igualdade e liberdade primordiais para a sobrevivência de uma nação democrática. O que vemos é o oposto disso , ao invés de defender os interesses coletivos dos cidadãos, a classe política defende interesses privados , muitas vezes ilegais , parte do empresariado brasileiro prefere se atrelar a figurões da política e roubar dinheiro público do que desenvolver forças produtivas importantes para a inovação tecnológica do País. Enfim , como bem disse  Sérgio Buarque de Holanda ”a democracia no Brasil foi sempre um lamentável mal-entendido”. Está mais do que na hora de mudarmos essa situação. 

Temo que as coisas não mudem muito com o atual quadro partidário brasileiro. Os grandes partidos estão todos ligados aos financiadores de suas milionárias campanhas eleitorais , perderam o interesse em defender  o que é bom para a vida da população há muito tempo. Quem irá nos mostrar melhores e inovadores  caminhos?   

Gilvan Mendes Ferreira

Gilvan Mendes Ferreira

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual do Ceará.Com interesse nas áreas de Teoria Política , Democracia e Partidos Políticos.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *