telmario-mota

Interesses de partidos e empresas é que sabotam e corrompem leis, poderes e direitos, diz senador do PTB

Em discurso nesta quinta-feira (25), o senador Telmário Mota (PTB-RR) elogiou a decisão do presidente da República, Michel Temer, de revogar o decreto que autorizava o emprego das Forças Armadas para garantia da lei e da ordem no Distrito Federal.

Temer assinou o termo que permitia o emprego do Exército com o intuito de conter os atos de depredação e violência que ocorreram durante manifestação marcada pelas centrais sindicais, na Esplanada, contra as reformas trabalhista e previdenciária, na última quarta-feira (24).

– Se consultar a população, 90% querem o Exército nas ruas sim, mas para prender criminosos que hoje impedem o cidadão de bem de andar nas ruas e conviver em casa – disse.

O parlamentar também citou conversa que teve com uma professora indígena, Isa Tapuia. Ela elogiou os discursos da maioria dos parlamentares nos últimos dias a respeito da crise política pela qual passa o país, sempre em busca de uma solução democrática e republicana para solucioná-la. Segundo Telmário, a indígena foi coerente ao dizer que, quando os interesses particulares se sobrepõem a propósitos coletivos, o primeiro atrapalha e a solução não se concretiza.

Para Telmário, que endossou as palavras da professora Isa Tapuia, a República está sendo vítima de interesses particulares, individuais, de partidos e empresas, e esses interesses sabotam e corrompem leis, direitos e poderes.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *