Excesso de burocracia emperra a construção de casas, afirma o vereador Alfredinho (PT)

O vereador Alfredinho (PT) lamenta os problemas habitacionais em São Paulo.

“É claro e notório que quando o prefeito manda um projeto para esta Casa da forma como mandou, é porque está preocupado em construir obras do Programa Minha Casa Minha Vida, programa esse lançado ainda no Governo Lula, e que desde o seu lançamento, São Paulo foi a cidade que menos construiu moradias do ‘Minha Casa Minha Vida’. Isso tem de ficar claro aqui. Exatamente por uma série de dificuldades ou por falta de interesse de outros que achavam que não era importante reivindicar o Programa para São Paulo”.

“O prefeito, quando se elegeu, defendeu um programa de governo em que dizia que construiria 55 mil casas populares para a cidade, que tem um déficit habitacional gigantesco. Sabemos como é difícil desapropriar terras aqui em São Paulo, ou qualquer outro tipo de trâmite de áreas para programas habitacionais, ou qualquer outro tipo de programa para obras públicas”.

“Eu não tenho aqui o número de terrenos hoje que já estão liberados para a construção de casas populares, mas é um número até razoável, levando-se em conta que não tinha nada no passado. Estou dizendo liberado. Porque é tudo difícil e o prefeito está preocupado realmente com a habitação popular. Às vezes há até a disponibilidade de recursos, federais ou outros, e a burocracia emperrada não permitem que esses recursos possam ser utilizados por conta de tudo que está aqui. O prefeito está admitindo que teve dificuldades nesse período de dois anos para construir, porque não adianta ter um Plano Municipal de Habitação se a nossa legislação que aqui está não permite que possamos  construir casas”.

Priscilla Ramos

Priscilla Ramos

Acadêmica em Comunicação Social - Jornalismo. Estagiária voluntária do Segunda Opinião. Educomunicadora e Produtora Cultural.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *