Dois anos depois, Brasil depende dos EUA em díesel e gasolina

Trecho  de texto do jornalista Miguel do Rosário no O Cafezinho:

“…Os EUA passaram a exportar ao Brasil, após o impeachment da presidenta Dilma, quantidades muito maiores de diesel e gasolina do que em anos anteriores. Talvez isso tenha sido fruto de algum tipo de negociação entre Aloysio Nunes e homens do governo americano, quando o tucano esteve em Washington e Nova York, pouco antes do impeachment, para participar de encontros a portas fechadas com autoridades comerciais da Casa Branca.

As exportações estadunidenses de diesel subiram 106% em 2017. Com isso, os EUA passaram a controlar 4/5 das importações brasileiras totais desse produto. Há dois anos, a fatia americana no mercado brasileiro era menos de 40%.

O óleo diesel já é, de longe, o principal produto norte-americano importado pelo Brasil. Só este produto respondeu, este ano, por 17% de todos os artigos americanos exportados ao Brasil. Em 2015, antes do golpe, o diesel correspondia por apenas 5% das exportações americanas ao Brasil.

Juntos, diesel e gasolina já respondem por 20% de todos os produtos americanos vendidos ao Brasil, em 2017, contra apenas 6% há dois anos..”.

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *