Desde que nasceu há 64 anos, Petrobrás tem “oposição violenta” da imprensa, diz senador do PT

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) criticou nesta terça-feira (3) o programa de privatizações do governo federal, manifestando-se contra a privatização da Eletrobras, já anunciada pelo governo, e da Petrobras. Ele registrou os 64 anos da criação da Petrobras e lembrou que, naquele tempo, a estatal sofreu “oposição violenta” dos meios de comunicação.

Lindbergh também mencionou o plano de Getúlio Vargas para criar a Eletrobras. Para o senador, a venda da empresa tirará a capacidade de planejamento energético do país, e nenhuma empresa privada se preocuparia em manter os programas sociais que a estatal tornou possíveis.

— O Rio de Janeiro, por exemplo, tinha uma marchinha que dizia: ‘Rio de Janeiro, cidade que seduz, de dia falta água, de noite falta luz’. E era essa a situação do país. Se não fosse a Eletrobras, o Brasil não tinha se desenvolvido nessa área de segurança energética.

O senador afirmou ainda que, durante a crise de 2008, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou a Petrobras e a Eletrobras para manter o nível de investimentos e estimular a economia.

Lindbergh também criticou a venda de partes da Petrobras e os leilões do pré-sal, e avaliou que a retirada da exigência de conteúdo local pela estatal do petróleo reduziu fortemente os empregos na construção naval.

Agência Senado

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *