Advogado de delator questiona procurador

“…Há uma série de questionamentos à Lava Jato e os formadores de opinião estão sentindo que existe terreno para isso. Eu sou plenamente favorável à Operação Lava Jato, que descortinou uma corrupção institucionalizada que ninguém poderia imaginar neste grau. Acontece que eu tenho como obrigação sendo cidadão e advogado de apontar os excessos há três anos. E eles são cometidos por este grupo de procuradores. Eles se sentem donos da verdade e começaram a ser tratados como heróis por parte da mídia.

Eles realmente se acharam heróis e fizeram uma série de irregularidades e de abusos. Começaram a brigar para passar as tais 10 medidas contra a corrupção, claramente inconstitucionais e ilegais, e afirmando que dois milhões haviam assinado aquilo. Nem 0,1% delas deve ter lido o que estava ali. E daí pegam a Maria Fernanda Cândido para pedir assinaturas. Se ela me passar um papel em branco, eu assino.

Faltou seriedade e respeito ao devido processo legal no momento em que eles queriam legalizar provas ilícitas. Estavam se sentindo tão poderosos até cair a máscara por parte deste Ministério Público que extrapolou de todos os poderes. Tentaram aprovar um teste fascista de integridade, diminuição do escopo do habeas corpus.

Ou seja, é um triste momento da história de parte do Ministério Público Federal. Eu acho que a história, quando for abordar este momento, vai apontar as vantagens que a Lava Jato teve e vai mostrar o papel ridículo, mesquinho e pequeno que esses falsos heróis tiveram na história recente do Brasil.

A sociedade ainda espera um posicionamento dos valiosos integrantes do Ministério Público Federal, a Força-Tarefa, sobre as trapalhadas nesse final de mandato melancólico do doutor Rodrigo Janot…”

(Trecho de entrevista de Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay,  o criminalista que assumiu a defesa, entre outros, dos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, no DCM.)

segundaopinião

segundaopinião

SEGUNDA OPINIÃO é um espaço aberto à análise política criado em 2012. Nossa matéria prima é a opinião política. Nosso objetivo é contribuir para uma sociedade mais livre e mais mais justa. Nosso público alvo é o cidadão que busca manter uma consciência crítica. Nossos colaboradores são intelectuais, executivos e profissionais liberais formadores de opinião. O SEGUNDA OPINIÃO é apoiado pelo MOVIMENTO COESÃO SOCIAL.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *