O apoio do PSDB ao governo Temer, por Haroldo Araújo

Getúlio Vargas governou o Brasil em momentos decisivos para a vida de todos os brasileiros. Seus feitos têm repercussão até os nossos dias. Recebeu críticas contundentes, a exemplo de gostar de governos fortes, fato que não se poderia estranhar, até porque seus contemporâneos Chefes de Estado e de grandes nações comungavam do mesmo pensamento. Com a “Revolução de 1964”, o Brasil passou 20 anos sob regime forte: sabemos, então, o que é bom para remédio, e eles também têm contraindicações.

Com a redemocratização, os governantes aprimoraram os discursos para alcançar o poder pelo voto. Foi assim com Collor, e acabou sendo afastado. Nossa democracia passou por aprendizados e aperfeiçoamentos, mas não foi capaz de identificar o embuste das promessas de campanhas mais recentes. Imagine, então, que as eleições de 2014 foram polarizadas entre duas eminentes figuras que estão afastadas por decisão dos poderes constituídos, e a decepção fica para a democracia,não é mesmo? Não mesmo. A decepção é com o anacronismo na política.

Sabemos que a nossa chamada “Jovem” democracia, não tão jovem assim, até porque o Senado da República, que tem Ruy Barbosa como patrono, beira os dois séculos de existência. Já é mais que chegada a hora de se trabalhar com responsabilidade, e parar com essa conversa de juventude para justificar equívocos. Sabemos que os nossos grandes erros estão centrados na mais absoluta falta de avaliação crítica. De modo vulgar, se poderia dizer sem “semancol”. Pena é que, da morte de Getúlio para cá, são decorridos mais de 60 (sessenta) anos e os erros ainda são recorrentes.

Não é nossa intenção aplaudir ou criticar a decisão do PSDB em continuar apoiando Temer, mas é nossa intenção dizer aos políticos que foquem os debates sobre a “Retomada do Crescimento”, debatendo principalmente as questões que afligem os brasileiros, a exemplo do desemprego. Não se trata de apoiar governos “A” ou “B”, mas de apoiar a nossa saída do marasmo. O Brasil carrega o peso de severas críticas entre partidos que estão tentando se eximir de suas responsabilidades nesta crise. Pronto! É aqui que o presente texto quer apontar o tema do apoio do PSDB, se ao governo TEMER ou ao Brasil?

Acho que a oposição é o melhor assessor de um governo, e ajuda, com suas críticas, a construir uma solução aperfeiçoada. O que não concordo é com críticas pessoais, críticas ideológicas de posicionamentos anacrônicos e sem qualquer embasamento técnico ou que não seja capaz de oferecer alternativas válidas. Alternativas que favoreçam o Brasil e os brasileiros. Penso que entendi o apoio do PSDB como um apoio ao Brasil, e não ao governo de partidos de “A” ou de “B”, ou apoiados ou não por figuras que já demonstraram pouca ou nenhuma preocupação com o atraso com que vive o país.

Acredito que a situação atual comporta inclusive um pacto, quando muitos estão preocupados com os votos e não perceberam que Getúlio governou um Brasil de 63 anos atrás, em que competitividade e desafios empresariais eram bem distintos da atualidade. Em todo o mundo as esquerdas conseguem compreender isso, mas aqui não! Espero que compreendam que não sou FLA e nem FLU, mas sou Brasil.

Haroldo Araujo

Haroldo Araujo

Funcionário público aposentado.

Mais do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *